carta governates interno

Introdução

Não foi encontrado nenhum códice medieval para esta carta. A única fonte é uma cópia que, segundo a tradição, foi levada para Saragoça por Frei João Parenti, quando foi ministro provincial da Espanha no tempo de São Francisco. Mas ela é aceita como autêntica. Tem que ser entendida no conjunto de outras circulares que ele escreveu quando voltou do Egito, entre 1220 e 1224. Ele estava muito doente e quase cego. Sabendo que não podia mais fazer pregações por toda parte, decidiu começar um apostolado novo, por escrito. Impressionado com os muezins muçulmanos que convidavam o povo cinco vezes por dia para a “shalat”, Francisco solicita aos governantes que se façam patrocinadores dos louvores de Deus por um anúncio vespertino. Podia até estar pensando em um sinal ecumênico que unisse cristãos e muçulmanos...

Carta aos Governadores dos Povos

1.A todos os podestás e cônsules, juízes e governadores em toda a terra e a todos os outros aos quais chegar esta carta, Frei Francisco, vosso servo pequenino e desprezível no Senhor Deus, desejando a todos vós saúde e paz.

2.Considerai e vede que o dia da morte se aproxima (cfr. Gn 47,29).

3.Por isso eu vos rogo com reverência, como posso, que, por causa dos cuidados e solicitudes deste século (cfr. Mt 13,22), que tendes, não entregueis o Senhor ao esquecimento nem vos desvieis de seus mandamentos, porque todos aqueles, que o entregam ao esquecimento e se desviam de seus mandamentos são malditos (cfr. Sl 118,21) e serão por ele lançados no esquecimento (Ez 33,13).

4.E, quando chegar o dia da morte, tudo que julgavam ter lhes será tirado (cfr. Lc 8,18).

5.E, quanto mais sábios e poderosos tiverem sido neste século, tanto maiores tormentos suportarão no inferno (cfr. Sb 6,7).

6.Por isso firmemente vos aconselho, senhores meus, que, pondo de lado todo cuidado e preocupação, benignamente recebais tanto o santíssimo Corpo como o santíssimo sangue de nosso Senhor Jesus Cristo em sua santa comemoração.

7.E que consagreis tanta honra ao Senhor no povo a vós confiado, que cada tarde se anuncie por um pregoeiro ou por outro sinal, pelo qual sejam dados louvores e graças ao Senhor Deus onipotente por todo o povo.

8.E, se isso não fizerdes, sabei que devereis dar contas diante do vosso Senhor Deus Jesus Cristo no dia do juízo (cfr. Mt 12,36).

9.Os que guardarem consigo este escrito e o observarem, saibam que são abençoados pelo Senhor Deus.


  • visitas 54