Caminhada irmas

Dizer “sim” ao chamado é como acolher a missão. O chamado não é apenas um convite para seguir Jesus, mas é uma convocação a assumir uma missão, assumir o Projeto de Deus em nossa vida para a vida dos que necessitam da Palavra que dá vida.

Jesus, em muitos textos do Novo testamento, aparece como missionário. Aquele que fala do Amor, da misericórdia e da esperança em Deus. As palavras de Jesus são alimento e refrigério para nossa alma e para aqueles a quem levamos este refrigério.

Assim como os discípulos de Jesus, nós, mulheres Consagradas, somos chamadas a transformar a história pessoal, a transformar a história de cada pessoa a quem somos enviadas.

Como diz o documento da Igreja: Vinho Novo em Odres Novos: “Se a Igreja perde as mulheres, na sua dimensão total e real, a Igreja corre o risco da esterilidade”. (Documento da Igreja - CNBB pag. 33)

Como diz o Papa Francisco “É legítimo que a mulher consagrada aspire a ver reconhecida mais claramente a sua identidade, a sua capacidade, a sua missão, a sua responsabilidade, quer na consciência eclesial, quer na vida de todos os dias”.

Entretanto, o importante é assumir nossa missão na Vida Consagrada com dedicação e doação por causa do Reino de Deus e sua justiça.


  • visitas 73