curiosidades foto1 1- Dia da Padroeira 

 Só em 1953 é que 12 de outubro passou ser oficialmente o Dia da Padroeira. Antes, segundo o Padre Victor Hugo Lapenta, da Comissão de  Bens Culturais e Histórico da Arquidiocese de Aparecida, a data já havia sido celebrada no dia 8 de dezembro- dia da Imaculada Conceição  no mundo. A data também foi comemorada no primeiro domingo de maio, no mês de Maria; além de 8 de setembro, mês de  nascimento  Dela. A transferência para 12 de outubro foi para aproximar a celebração da data do encontro da imagem no Rio Paraíba.

 (Dia da Padroeira já foi celebrado em cinco datas diferentes. Foto: Carlos Santos/ G1)

 

 

 

 

Foto2      2- Nicho 

     A imagem considerada milagrosa está abrigada em um nicho a 4 metros do chão, em um retábulo de 40 centímetros de largura e blindadono Santuário Nacional. O nicho é revestido por pastilhas brancas e douradas que reproduzem as imagens de três arcanjos - Miguel, Gabriel e  Rafael. O local representa a passagem bíblica da "Escada de Jacó" (Gn 28:12) - "E teve um sonho no qual viu uma  escada apoiada na terra; o seu topo alcan­çava os céus, e os anjos de Deus subiam e des­ciam por Ela", diz o versículo.

      (Nicho da imagem milagrosa da Padroeira do Brasil fica em um retábulo a 4 metros de altura)

 

 

 

 

 

nicho

        3- Visitas ilustres 

               Segundo o Centro de Documentação e Memória (CDM) do Santuário Nacional, entre as visitas ilustres a Aparecida, terra da Padroeira do Brasil, estão a do imperador Dom Pedro 1º e da princesa Isabel, que doou a coroa de ouro à Santa após alcançar uma graça. Além disso, a imagem também já recebeu os Papas João Paulo II, em 1980; Bento XVI, em 2007 e Francisco, em 2013. O presidente Getúlio Vargas também esteve em Aparecida para visitar a imagem, segundo o padre Victor Hugo Lapenta.

       (Papa Francisco beijou a imagem de Nossa Senhora Aparecida (Foto: Reprodução)

 

 

 

 

visitas ilustres

        4- Templos 

 1-   A imagem foi encontrada no rio em 1717 e peregrinou nas casas dos pescadores que a encontraram até 1932. O primeiro oratório público  foi construído em 1732. A tradição conta que um dos milagres, o das velas que acenderam sozinhas para iluminar a imagem, aconteceu  neste local. A primeira igreja reconhecida canonicamente dedicada à Nossa Senhora Aparecida foi erguida em 1745 em Aparecida. Após  reformas no local, em 1888 foi inaugurada a Matriz Basílica (Basílica Velha) e, na década de 50, o Santuário Nacional.

        (Matriz Basílica abrigava a imagem antes do Santuário Nacional Foto: Fábio França/ G1)  

 

 

 

 

Templos

        5-  Milagres 

                Dentre os inúmeros milagres atribuídos à Santa, dois têm seus registros físicos - uma corrente e uma pedra, ambas estão em um      museu. A corrente teria pertencido a um escravo e se soltou quando ele se aproximou da imagem. Outro objeto é a pedra, que tem a    marca da  ferradura do cavalo, que ficou presa no local assim que seu cavaleiro decidiu entrar na igreja para zombar da fé dos fiéis. "São  marcos de  milagres reconhecidos pelo Vaticano”, disse César Maia, curador do museu em Aparecida.

        (Corrente do milagre do escravo Zacarias exposto no Museu Foto: Thiago Leon/Museu Aparecida)

      

 

  

 

        6-  Manto Milagres

       Antes de ser proclamada Padroeira do Brasil, a imagem da Santa foi coroada em em setembro de 1904 e junto com a coroa, ganhou o      manto azul. No entanto, segundo o Santuário Nacional, estudos históricos mostram que antes do manto tradicional, a imagem usava mantos  vermelhos e brancos - em referência à Imaculada Conceição.Hoje, a imagem tem o forro da vestimenta trocado uma vez por mês e  pedaços dele são entregues aos fiéis que colaboram com as obras da Igreja.

        (Nossa Senhora já usou mantos vermelhos  e brancos Foto:Carlos Santos/ G1)

 

 

 

 

imagem quebrada

         7-  Imagem quebrada

             A imagem da Santa já foi quebrada em mais de 200 pedaços. Em maio de 1978, um jovem transtornado conseguiu retirar a santa do  nicho, na Matriz Basílica e atirá-la contra o chão. O restauro foi feito pela artista plástica Maria Helena Chartuni, hoje com 71 anos, e levou  33 dias. As partes foram coladas. A história é contada no livro  do jornalista Rodrigo Alvarez, “Aparecida:a biografia da santa que perdeu a  cabeça, ficou negra, foi roubada, cobiçada pelos políticos e conquistou o Brasil”.

        (Imagem já foi quebrada em mais de 200 pedaços Foto: Arquivo Pessoal/ Maria Helena Chartuni)

 

 

 

 

 

Guerra

        8-  Escondida 

              Durante a Revolução de 1932, a imagem da Padroeira  foi levada por alguns meses para São Paulo para ser guardada. Não há   registros  sobre o 'esconderijo' de Nossa Senhora, mas ela foi levada para capital de carro porque a Igreja temia por sua integridade. O Vale do  Paraíba, onde a imagem ficava guardada, na Matriz Basílica, era uma das áreas de combate das tropas. Haviam soldados acampados,  inclusive, em Aparecida na época.

        (Vale do Paraíba era região vulnerável à combates na Revolução Foto: Divulgação/ MMDC Itapetininga)

 

 

 

 

escondida

         9-  Cor 

       Não há registros sobre a origem e sobre exatamente quanto tempo a imagem ficou nas águas no Rio Paraíba. Também não se sabe com  exatidão qual era a cor da estátua antes dela ser lançada na água. Entre as hipóteses para a cor negra, estão desde o tempo que ela    ficou na água até o fato dos fiéis acenderem velas e lamparinas aos pés da santinha na casa dos pescadores e, com isso, terem    colaborado para o escurecimento da imagem, que é feita de barro e argila.

        (Imagem de Nossa Senhora Aparecida Foto:Ely Venâncio)

 

 

 

  

cor

         10-  Padre 'guardião' 

       Restaurada após o incidente de 1978, a cor da imagem gerou um impasse entre a restauradora e o reitor do Santuário na  época,    padre Izidro. Ele queria um tom mais claro, segundo ele, a cor original. Ele era como um ‘guardião’ da imagem e depois  que Ela  voltou  a Aparecida, ele a retirava do nicho e levava para o convento onde morava. Ele teria removido, com as unhas, um 'pontinho' próximo  aos  olhos Dela. "Voltou do restauro com um ponto quase imperceptível. Mas ele tinha um olho clínico, viu e tirou", disse padre Victor  Hugo.

        (Padre Isidro foi reitor do Santuário e 'cuidava' da imagem Foto: Arquivo/CDM Santuário Nacional)

 

 

 

 

 

   

Santuario

         11-  Viagens de Kombi 

      O Santuário Nacional começou a ser construído em1952, com a terraplanagem. O primeiro atendimento aos romeiros no local        aconteceu no dia 21 de junho de 1959. A partir deste dia a imagem vinha todos os finais de semana, de Kombi, para o local para ser  venerada pelos devotos - isso aconteceu porque a Matriz-Basílica não comportava mais o número de romeiros que iam à cidade. Só em  outubro de 1982, a imagem foi levada, em definitivo, para o Santuário Nacional.

       (Santuário nacional de aparecida durante a construção Foto: Arquivo/CDM)

 

 

  

 

 

iamgem antiga

        12-  Peregrinação  
 Se no ano passado cerca de 12 milhões de peregrinos foram à Aparecida ver a imagem, no passado, foi ela que peregrinou ao encontro  dos fiéis. A pedido do governo militar, em 64, a imagem original visitou as grandes capitais do país. Ela viajava em avião do governo. "O  governo queria que o povo continuasse a venerá-la e também evitar que as pessoas se tornassem comunistas - era essa a mensagem",  disse o padre Victor. Enquanto 'viajava' uma réplica da imagem ficou em Aparecida.

       (Quando a imagem viajou o país, ela tinha essa aparência Foto: Arquivo pessoal/Rodrigo Alvarez)

 

 

 


  • visitas 289