• foto1.jpg
  • foto3.jpg
  • foto3_.jpg
  • foto4_.jpg
  • foto5.jpg
  • foto8.jpg
  • foto9.jpg
  • foto10.jpg
  • foto11.jpg
  • foto12.jpg
  • foto15.jpg
  • foto16.jpg
  • foto17.jpg
  • foto1.jpg
  • foto3.jpg
  • foto3_.jpg
  • foto4_.jpg
  • foto5.jpg
  • foto8.jpg
  • foto9.jpg
  • foto10.jpg
  • foto11.jpg
  • foto12.jpg
  • foto15.jpg
  • foto16.jpg
  • foto17.jpg

 

Ao iniciar o Capítulo Eletivo na Alemanha, em 28 de julho a 13 de agosto de 2017, foi feita uma breve recordação do Jubileu dos 775 anos de nossa Congregação. As perguntas: Como começou? O que aconteceu no caminho? Como continuar? Foram questões de reflexão que nos colocaram bem dentro das expectativas e esperança que acompanham nossa história. No painel à direita, ao lado do TAU, vê-se o rosto de São Francisco. Este é uma montagem de todas as fotos das irmãs da Congregação.

“O Espírito de Deus nos acompanha” foi a motivação para iniciar o Capítulo. Para isto foi lembrado que Francisco é nosso modelo e o Papa Francisco nos encoraja nesta intenção.

Em seguida foi apresentado o moderador, Provincial dos Padres Palotinos, Padre Michael Pfenning. Ele nos deu uma curta motivação que veio de encontro com o Tema da Assembleia Eletiva que aconteceu em julho de 2016 em Brasília: “Olhem que faço novas todas as coisas. Vocês não percebem”? Is 43, 18 e 19.

Ainda no mesmo dia Pe. Michael fez uma curta exposição que culminou com estes itens: “Obrigação sem amor, deixa a gente desinteressada;

Justiça sem amor, deixa-nos árduos;

Inteligência sem amor, nos destrói;

Disponibilidade sem amor, nos enfraquece;

poder sem amor, torna-nos agressivos;

Fé sem amor, nos torna fanáticos.  O amor é o maior bem”.

Nos três dias que seguiram, foram apresentados os relatórios das Províncias. Foi muito interessante acolher a missão de cada Província e conhecer a espiritualidade e todo trabalho que se realiza para o bem do Reino de Deus. É uma riqueza muito grande o que cada irmã faz para a sua Província e pela Congregação. Após a apresentação de todos os relatórios foram feitos trabalhos de grupos, ora por grupos de línguas, ora por grupos de província, ora “working group”, isto é, com irmãs de línguas e províncias diversas. Foram feitas três perguntas após a apresentação dos relatórios: O que nos impressionou? O que podemos aprender? Que impulsos vamos levar? E estas perguntas foram trabalhadas em grupos.

O Governos Geral também apresentou seu Relatório e houve muitas perguntas; Como também houve nas apresentações dos Grupos das Províncias para esclarecimentos ou para explicar algo que é novidade para algumas Províncias.

Antes do processo de eleição, houve aprofundamento nos grupos das seguintes questões: Qual é o nosso objetivo? O que queremos alcançar? As respostas dos grupos foram:

* Vida fraterna como apostolado: misericórdia e perdão; Cuidado e justiça entre as gerações;

* Pobreza: justiça na distribuição de bens; ser solidário;

* Ação e Contemplação: o que alimenta nossa espiritualidade, busca espiritual, equilíbrio, consagração;

* Nosso lugar na realidade social: Para que margens somos enviadas? Onde nos acomodamos? Em que precisamos nos adaptar?

* Passar adiante nosso carisma: valores franciscanos; passar valores franciscanos para quem tem interesse para nossa Congregação;

* Anunciar: Limites dos meios de comunicação; achar um equilíbrio.

Precisamos traçar objetivos e passos para atingir estes objetivos.

No processo de eleição transcorreu tudo numa grande harmonia e alegria responsável. Em vários momentos Pe. Michael deu um impulso com poucas palavras, mas profundas, que nos ajudaram sempre de novo a seguir em frente.

Gostaria de terminar com algumas palavras de Frei Cornelius Böhs que também nos motivaram neste processo do Capítulo Geral Eletivo: “Jesus nos envia para anunciar que o Reino está próximo. Mas, muitas vezes as coisas que investimos não trazem frutos. Queremos que as sementes desenvolvam depressa, temos muita pressa. Queremos ver a colheita. Muitos semeadores sabem que nem todas as sementes brotam. Então, nós, sabendo disto, devemos parar de semear ou semear com maior abundância? Na vida, de acordo com o Evangelho, contar de maneira mesquinha, não faz sentido. Precisamos semear, sem esperar que nem tudo vai frutificar. Não ter medo de semear. Semear, semear, semear...

Precisamos parar de nos preocuparmos com o chão de nossa Congregação. O crescimento não depende de nós. Não podemos sozinhas salvar a Congregação, a Igreja. Semear me diz que creio no futuro. Assim como o crescimento não é nossa tarefa, a colheita também não depende de nós.

Talvez a crise que estamos vivendo, vai trazer algo novo. Vamos olhar para frente, vamos seguir (...) Os tempos são diferentes. Não precisamos fazer o que foi feito no passado, mas precisamos ser gratos. Precisamos ser gratos por aquilo que cresce. A gratidão é a luz da alma contra as forças da destruição”.

“É tempo de semear e não de lamentar. Semear sem poupar. É tempo de semear e não de colheita. Somos enviadas a semear com confiança, com gratidão. Jesus se coloca também como semeador”. E Ele é paciente.

Obrigada por tudo que vivenciamos! Estes momentos de encontros com irmãs das várias Províncias sempre trazem esperança e confiança no futuro.

Deus seja louvado por nossa Congregação e por todas as irmãs que dela fizeram parte ao longo da história e continuam a tarefa de viver na radicalidade o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

(Ir. Sueli Rubens Sendra OSF)

 


  • visitas 264