São Bruno e Santa Maria Francisca das Cinco Chagas

São Bruno e Santa Maria Francisca das Cinco ChagasNos idos do ano 1000, Hugo, bispo de Grenoble, sonhou certa vez com sete estrelas que brilhavam sobre um lugar escuro e pavoroso. Mais tarde, foi procurado por sete homens que queriam se converter à vida religiosa e buscavam sua orientação, por causa da santidade e do prestígio do bispo.

Reconhecendo a premonição do sonho, Hugo ofereceu-lhes fazer sua obra num lugar de difícil acesso, solitário, árido e inóspito. Se aceitassem, teriam todo seu apoio episcopal.

Os homens aceitaram na hora, pois silêncio e solidão para orar e meditar era tudo o que buscavam. Tinham o objetivo de cortar definitivamente as relações com o mundo. Os homens eram Bruno e seus primeiros seis seguidores.

Bruno nasceu e cresceu em Colônia, Alemanha, em 1035. Era filho de família nobre e rica. Cedo resolveu abandonar a vida de vaidades e prazeres, que considerava inútil e improdutiva.

Fez os estudos na escola da diocese de Reims, onde também se ordenou e posteriormente lecionou teologia. Entre seus alunos estavam o futuro papa Urbano II e Santo Hugo de Grenoble.

No lugar indicado pelo bispo, Bruno liderou a construção da primeira casa de oração, com pequenas celas ao redor. Nascia a Ordem dos Cartuxos e, ali, ele e seus seguidores se obrigaram ao silêncio permanente e absoluto. Oravam, trabalhavam, repousavam e comiam em silêncio total.

Seis anos depois, o papa Urbano chamou Bruno para ser seu conselheiro e ele teve que abandonar o lugar ermo que amava profundamente. Mas, em Roma, fundou outra casa da Ordem dos Cartuxos, no deserto de La Torre.

Bruno adoeceu gravemente em 1101. Chamou os irmãos, fez uma confissão pública da sua vida e reiterou a profissão da sua fé, entregando o espírito a Deus, em 6 de outubro. Seu corpo foi enterrado no cemitério de La Torre. Ao ser desenterrado, em 1515, estava completamente intacto.

Seguindo a personalidade de seu fundador, a Ordem dos Cartuchos é uma das mais austeras da Igreja e atravessou os séculos sem nenhuma reforma. Conta hoje com dezenove mosteiros que, espalhados pelo mundo, reúnem pouco mais de quatrocentos monges.


  • visitas 16