Santo Villlibaldo

Santo VilllibaldoÉ a este peregrino inglês que o Mosteiro Beneditino de Montecassino deve o seu renascimento espiritual, depois da sua destruição em 581. A sua família, de nobres cristãos, o enviou para a escola do Monastério de Walthman, onde, Villibaldo decidiu se tornar monge.

Mas saiu do monastério e da Inglaterra antes dos votos definitivos, indo para Jerusalém com um grupo de peregrinos, entre os quais estavam seu pai e seu irmão.

Retornou ficando dois anos em Roma, depois continuou a peregrinação, percorrendo toda a Palestina, que estava sob o domínio árabe.

Os peregrinos em geral eram bem acolhidos, entretanto, por tensões políticas com o Império do Oriente, Villibaldo e os outros quase foram presos: acreditavam que fossem espiões. Mas em seguida, puderam prosseguir em paz, e em 729 Villibaldo retornou para Roma, depois de sete anos.

Villibaldo nunca mais voltou para sua pátria. O papa Gregório II o enviou em 729, ao monastério de Montecassino, que havia sido reerguido das ruínas. Agora era necessário que um novo quadro de monges fosse formado, dentro das normas beneditinas e de acordo com o Livro de Regras do fundador, que estava a salvo em Roma.

O quase-monge inglês, que continuava sem ter feito os votos definitivos, de posse do Livro de Regras organizou e formou uma comunidade de monges, dentro da verdadeira tradição e do estilo de vida espiritual instituído pelo fundador.

A esta obra dedicou outros dez anos. Retornou novamente a Roma, e se encontrou com o novo papa Gregório III, que lhe disse: "Precisamos de você para a evangelização germânica".

Assim, Villibaldo partiu, e viajou por todas as regiões e cantos da Europa. Na Alemanha foi requisitado pelo bispo Bonifácio, o apóstolo dos alemães de quem era aparentado.

Bonifácio estava organizando uma estrutura diocesana na Baviera e precisava de sua ajuda. No ano de 740, foi ordenado sacerdote e sagrado bispo de Eichstadt, na Baviera, por São Bonifácio.

O bispo Villibaldo construiu sua catedral, fundou um monastério e, sobretudo, controlou rigorosamente todos os outros monastérios, por determinação do bispo Bonifácio.

A partir daí, começou para ele uma experiência nova: aquela de pregador itinerante, à frente dos fiéis que aos poucos se convertiam ao cristianismo.

Esta obra o ocupou até a morte, tornando-o extremamente popular com a fama da sua santidade em vida, que depois se transformaria num culto espontâneo e duradouro, muito antes do seu reconhecimento canônico.


  • visitas 9